O cantor Roberto Carlos participou de entrevista coletiva, neste domingo (17), para promover sua turnê ‘Emoções Em Alto Mar’, que está em sua 15ª temporada. Durante a coletiva, o jornal O Dia, do Rio de Janeiro, perguntou sobre o decreto do presidente Jair Messias Bolsonaro (PSL) sobre a posse de armas de fogo.

O Rei se mostrou favorável ao decreto e, sob aplausos da platéia, recordou a época em que seu pai possuía e manuseava uma arma de fogo, em casa, com total segurança e ainda a colocava debaixo do travesseiro antes de dormir. Confira a resposta de Roberto Carlos:

“Desculpem se vou decepcionar alguns de vocês, mas vivemos numa guerra. Não dá para uma pessoa andar armada e outra andar desarmada. Cresci vendo meu pai com uma arma em casa. Ele guardava numa gavetinha. Ele tinha uma chave, trancava a gavetinha com a chave. E à noite, ele tirava a arma e botava debaixo do travesseiro. É uma coisa que precisa ser analisada com muito cuidado, mas vivemos numa guerra”

Roberto Carlos se apresentou de rosa, em substituição ao tradicional azul que utiliza, sendo questionado se isso tinha algo a ver com a frase da Ministra das Mulheres, Família e Direitos Humanos, Damares Alves de que “agora, meninos vestem azul e meninas vestem rosa”. A resposta de Roberto Carlos foi objetiva:

“Eu apareci de rosa porque queria fugir um pouco do azul, já que eu já estava ficando marcado pelo azul… E visto rosa porque me garanto!”

A única pergunta em aberto é: o que o decreto de Bolsonaro e a frase de Damares tem a ver com a turnê do cantor Roberto Carlos? Na ma téria de O Dia, o jornal assume que Roberto Carlos se mostrou favorável, no corpo do texto, mas coloca legenda na foto do cantos dizendo que ele estava sendo contrário ao projeto do presidente, o que a interpretação de texto básica mostra que não é verdade.

Fonte: Jornal O Dia via(s1n7ese)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.