Uma tentativa de resgate no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará III (CRPP III), no Complexo de Santa Izabel, Região Metropolitana de Belém, já contabiliza 20 mortos nesta terça-feira (10). Durante a ação, agentes penitenciários foram feitos reféns e houve intensa troca de tiros. Entre as vítimas, um agente prisional já teve o óbito confirmado pela Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). Na tentativa de resgate, foram utilizados explosivos contra um dos muros do solário do Pavilhão C. O combate entre policiais e detentos já dura mais de duas horas no local.

Um vídeo, registrado no interior do presídio, mostra vários corpos caídos na área externa.

A Segup confirmou a morte de 20 pesssoas, dentre presos, integrantes do grupo criminoso de resgate e um agente prisional, mas informações de fontes internas do presídio apontam 28 vítimas fatais.

Outros quatro agentes de segurança também ficaram feridos, sendo um em estado grave e recebendo atendimento em hospital na Região Metropolitana de Belém.

ATENÇÃO! VÍDEO COM IMAGENS FORTES! 

De acordo com testemunhas, houve troca de tiros entre policiais e criminosos e a rodovia BR-316 ficou intrafegável devido aos diparos.

Após a diminuição da intensidade dos tiros, a via foi liberada.

Através de Nota, a Susipe informou que a ação contou com apoio externo e que ainda não confirma fuga de presos. Uma revista e recontagem de detentos é realizada, neste momento, na unidade prisional. Uma equipe da Força Tática da PM foi deslocada para o presídio.

Armas apreendidas

Cinco armas, sendo dois fuzis, três pistolas e dois revólveres, além de um cartucho com munições, foram apreendidos com o bando que tentou invadir a casa penal. A Segup disse ainda que irá investigar a entrada de armas na unidade, além das circunstâncias das trocas de tiros durante a tentativa de resgate de presos.

O delegado Rodrigo Leão, diretor da Seccional de Santa Izabel do Pará, está com equipe policial acompanhando a situação, além de duas equipes da Divisão de Homicídios e uma da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).

(DOL)

Leave a Reply

Your email address will not be published.