Em meio a polêmicas, ocorre nesta terça-feira, 3, a eleição para presidente, vice-presidente e Conselho Fiscal da Federação Bahiana de Futebol (FBF).

Os eleitos vão assumir o cargo pelo próximo mandato quadrienal, que vai de 16 de janeiro de 2019 até 16 de janeiro de 2023.

O processo eleitoral acontece no Wish Hotel da Bahia, localizado no Campo Grande, às 14h desta terça. Será apenas a partir desse horário que os candidatos aos cargos serão conhecidos pelo público geral, já que a FBF não divulgou a lista dos postulantes.

Certo é que o atual presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues, que está no cargo há 16 anos, não será candidato nesse processo eleitoral.

De acordo com o próprio Ednaldo, ele será postulante à vice-presidência da CBF, em eleição que também acontece no mês de abril.

“Não vou ser candidato. Entendi que não é necessário que eu seja, temos uma equipe preparada. Minha atenção vai estar voltada para a eleição da CBF”, contou Ednaldo.

Quem será candidato à presidência é o atual vice-presidente, Ricardo Lima. A informação foi confirmada nesta segunda, 2, pelo atual mandatário. “Ricardo será o candidato a presidente e Manfredo Lessa será nosso vice”, revelou.

Na Justiça

Apesar de estar marcada para logo mais, ainda existe a chance de a eleição não acontecer. Isso porque Ademir Ismerim, pré-candidato à presidência, solicitou uma liminar para suspender o pleito.

Ex-árbitro da federação, Lúcio Araújo, apoiador de Ismerim, explicou que o pedido foi feito no último fim de semana, e que a liminar pode sair até o horário da votação, ou mesmo depois do pleito.

“Foi pedida uma liminar em caráter de urgência para suspender a eleição. A gente tem a esperança de que ela saia até antes da votação, mas, mesmo que saia depois, a eleição ainda pode ser cancelada”, contou Lúcio Araújo.

Ainda de acordo com o ex-árbitro, a liminar foi pedida sob alegação de que Ednaldo Rodrigues dificultou o acesso a informações sobre o pleito e não permitiu que houvesse tempo hábil para inscrição de candidatos.

Quem vota

O colégio eleitoral é composto por 146 entidades. Essas variam entre clubes profissionais, ligas amadoras e um atleta da primeira divisão do Baianão.

De acordo com o regulamento, por ter sido campeão brasileiro, o Bahia terá direito a sete votos. São dois a mais que o Vitória, que já foi vice-campeão nacional.

As ligas amadoras terão direito a um voto. As que já foram campeãs intermunicipais têm direito a dois.

 

Fonte: A Tarde Online.

Leave a Reply

Your email address will not be published.