João Gilberto, reconhecido mundialmente como um dos pais da Bossa Nova, estilo que ele contribuiu para sua criação nos anos 50, morreu hoje (6) aos 88 anos, em sua residência, no Rio de Janeiro. A causa não foi divulgada.

Sendo um dos mais influentes artistas nacionais, juntamente com Tom Jobim, Vinícius de Moraes e outros cantores e compositores fez surgir um estilo musical único no mundo: A Bossa Nova, uma derivação do samba com influência do jazz americano. Vários artistas o considerava um gênio pela música que ele havia criado no final da década de 50.

As canções “Desafinado”, “Chega de Saudade”, “Samba de Uma Nota Só”, e principalmente “Garota de Ipanema”, foram algumas das mais famosas executadas pelo artista . Os seus três primeiros discos Chega de Saudade (1959), O Amor, o Sorriso e a Flor (1960) e João Gilberto (1961) foram os grandes divisores da MPB.

Artista exigente, conseguia ouvir ruídos durante suas apresentações que fazia com que parasse de cantar. Considerado excêntrico, era respeitado por grandes estrelas da música mundial.

Ganhou um Grammy com o disco Getz/Gilberto lançado em 1964, em parceria com Stan Getz nos Estados Unidos, e nele a música “Garota de Ipanema” começou a ganhar o mundo.

Nos últimos anos João entrou em um período de reclusão e distanciamento do público, os seus filhos Bebel Gilberto e João Marcelo entraram em disputas judiciais pela sua guarda, enfrentou problemas financeiros e a sua saúde começou a piorar.

O baiano de Juazeiro, nascido em 10 de junho de 1931, lançou 11 discos de estúdio e 9 ao vivo, e hoje com a sua passagem, João deixa a música brasileira e a Bossa Nova desafinadas e silenciadas.

 

Fonte: Carlinhos Maciel






 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.