O ex-atacante André Catimba, um dos maiores ídolos da história da Vitória, morreu nesta quarta-feira (28), em Salvador, por causa ainda não revelada. Ele tinha 74 anos.

Ao lado de Osni e Mário Sérgio, Catimba foi destaque do trio de ataque mais marcante nos 122 anos de existência do rubro-negro, campeão baiano de 1972. Na final contra o Bahia, o Leão venceu as duas partidas na Fonte Nova por 2×1 e 3×1, tendo André aberto o placar no jogo de volta.

Aquele timaço – escalado na final com Agnaldo, Roberto, Leleu, Válter e França; Luciano e Juarez; Osni, Gibira, André (Marcílio) e Mário Sérgio (Almiro) – encerrou um jejum de sete anos sem conquistar o Campeonato Baiano para o Vitória. O centroavante jogou no clube de 1971 a 1976.

É ídolo também do Grêmio e teve uma passagem muito boa pelo Guarani, apesar de curta, ambas na década de 1970. No tricolor gaúcho, virou herói ao marcar o gol do título estadual de 1977 contra o Internacional, que tentava o nono troféu consecutivo em cima do maior rival.

Na comemoração, André se atrapalhou ao dar uma cambalhota, e o clique do fotógrafo Armênio Abascal Meireles eternizou a cena como a lembrança daquela conquista. Ele é autor também do gol considerado mais bonito do antigo Estádio Olímipco (de bicicleta contra o Esportivo, em 1979) e tem os pés gravados na Calçada da Fama da Arena do Grêmio, inaugurada em 2012, em Porto Alegre.

 

Fonte: Correio.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.