Por: Justiça no Interior

Entre os anos de 2022 e 2024, a OAB-subseção de Itapetinga terá uma mulher como presidente. Trata-se da advogada Suzanne Barros, que venceu a eleição na quarta-feira, 24, concorrendo em chapa única, quando conquistou 75 votos, um percentual de 84,27%.

Suzanne compôs a chapa “Avança OAB Itapetinga”, com os (as) colegas advogados (as) Franklin Ferraz (vice-presidente),  Lediany Brito (Secretária Geral),  Sirlane Souza (Secretária Adjunta) e Gabriel Queiroz (Tesoureiro).

Barros tem 35 anos e atua há 12 como advogada Trabalhista. Antes de chegar ao cargo máximo da OAB-Itapetinga, ela ocupou a função de Tesoureira nos dois últimos mandatos e também foi Presidente da Comissão de Eventos da Subseção. Em entrevista ao Justiça no Interior nesta sexta-feira, 26, Suzanne afirma que sua gestão vai buscar, junto ao Poder Judiciário, a otimização da prestação jurisdicional e o atendimento para a advocacia. CONFIRA:

JUSTIÇA NO INTERIOR: O que o resultado da eleição mostrou?

SUZANNE BARROS: A eleição em Itapetinga soube valorizar a prata da casa, afinal Daniela Borges é Itapetinguense. 87,5% de votos para a chapa União pela Advocacia é o reconhecimento de nossa gente à sua advogada mais ilustre. A segunda pessoa do interior a presidir a Seção da OAB Bahia e a primeira mulher eleita para comandar a querida Ordem Baiana. Nas demais localidades, especialmente nos redutos da oposição, conseguimos uma expressiva votação, contribuindo para a sólida vitória da democracia. E não foi diferente com a eleição de nossa chapa, pois há 15 anos experimentamos mudanças significativas na Subseção Itapetinga com o atual Presidente Fabrício Moreira, que inclusive foi eleito como Conselheiro Seccional e trouxe sua forma participativa de gerir a Subseção, sempre buscando as melhores condições para a classe.

J.I.: Qual o primeiro passo da futura gestão?

S.B.: Assim que tomarmos posse, precisaremos tratar com a magistratura local sobre a otimização da prestação jurisdicional e o atendimento para a advocacia. A pandemia impôs um prejuízo imenso para a sociedade e o Judiciário foi o “serviço” que mais demorou a retornar: 20 meses para o TJBA e sem data fixada para o TRT5. Esse prejuízo só será sentido a longo prazo. Não se faz justiça somente com números. A sociedade clama por um Judiciário mais humano, afastado de meros índices de produtividade. Assim, é urgente discutir esta demanda com os juízes, inclusive com a presença de toda a advocacia local.

J.I.: A experiência como Diretora Tesoureira vai auxiliar na tomada de decisões no próximo triênio?

S.B.: Não há dúvidas que a experiência colhida nos dois últimos mandatos como Diretora Tesoureira e como Presidente da Comissão de Eventos da Subseção Itapetinga será importante para a nova gestão. Temos conhecimento profundo dos meandros do sistema OAB e estou muito tranquila para iniciar os trabalhos, com o auxílio de toda a Diretoria.

J.I.: Como é ser mulher advogada, mãe e presidente da OAB? Quem será a Suzanne Presidente?

S.B.: Ser mulher advogada, esposa, mãe e presidente da OAB é um desafio, entretanto, a Presidente eleita da Subseção Itapetinga é uma mulher de fibra, com vontade de contribuir em prol da classe e da sociedade. Mãe e advogada militante, Suzanne acumula todas as atividades que uma mulher comum suporta. A juventude pulsa dentro de mim e estou preparada para seguir os ideais plantados pela atual gestão, da qual faço parte, especialmente com uma visão coletiva de administrar a Subseção.

J.I.: Qual recado para os colegas?

S.B.: Diz o ditado que “uma andorinha só não faz verão”. Venham juntos, todos e todas, para participar conosco e construir uma bela história. Daniela Borges na Presidência da OAB BA e Fabrício Moreira no Conselho Seccional vão, com absoluta certeza, ajudar o interior. E Itapetinga só tem a ganhar.

 

Fonte: Justiça do Interior. Imagem.(Arquivo Pessoal)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.